BLOGGER TEMPLATES - TWITTER BACKGROUNDS

"Anástasis- A Verdade é uma Mentira"







O Anástasis já não se encontra à venda em nenhuma livraria. Caso estejam interessados em adquiri-lo contactem-me, pf, via email: anastasis.maria@gmail.com.



Boas Leituras!





quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Pai perdoa-o que ele nao sabe o que faz...

Ponderei cerca de 2 segundos se devia contribuir para divulgar ainda mais a recente obra do escritor saramago "Caím" que muita polémica gera à sua volta e sim vejo-me obrigada a fazê-lo, por não pretender que a minha opinião fique sem ser ouvida.
Acho inadmissível que a sua inspiração resulte num puro e grosseiro desvirtuar daquele que é o Livro mais importante de toda a história da humanidade, saiba-se pela sua antiguidade e transversalidade. Uma obra que atravessa épocas, pessoas, famílias e terras.
A julgar pela capa escolhida apercebemo-nos logo das suas intenções baixas e do oportunismo com que saramago escreveu este seu conto.
E porque o julgam alvo de inquisição? Porque não está a Igreja a ser alvo de difamação, ou os cristãos? Admiro a forma como remodelam a realidade, em especial a comunicação social, pois como é sabido nunca foi moda estar do lado da igreja, dos católicos, ou dos cristãos.
Acima de tudo existe uma tremenda falta de respeito por milhões de pessoas, que merecem ver as suas crenças e valores dignificados e não ridicularizados pelas palavras tão "nóbeis" como: "O Deus da Bíblia é rancoroso, vingativo e má pessoa... O Deus da Bíblia não é de fiar" ou então por declarações proferidas como:" a bíblia é um manual de maus costumes, é um livro cheio de crueldade, violência" enfim...
Ah, saramago escrevo-o com letra minúscula subentendam porquê...

19 comentários:

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Gostei de ler :)

beijinho

AnAndrade disse...

Saramago escreve com letra minúscula todos os nomes próprios do livro "Caim", pelo que esse não é argumento forte o suficiente para argumentar contra ou a favor o que quer que seja.
Toda a minha vida me habituei a ser olhada de lado por viver à margem de uma crença religiosa (que não possuo, e essa não é uma questão de escolha) e nunca me senti ofendida por isso.
Saramago emitiu uma opinião, como a emitem os crentes que têm pena dos pobres de espírito que não crêem. Nunca pensei que as suas palavras abalassem tanto. Tiro-lhe o meu chapéu, duplamente, uma vez mais.

Fatucha disse...

Gostei de ler eu também, conheci o teu blog graças ao Lobinho. bjs
Vou adicionar o teu blog ao meu, espero q não te importes.

Anónimo disse...

saramago já não me incomoda há muitos anos porque se ligasse a todas as asneiras que os Espanhois dizem passava o meu tempo a pensar neles.

Lamento até que as pessoas só se incomodem agora com esse energúmeno, o verdadeiro ensaio conseguido de um homem oco, vazio, sem conteúdo. A falta de valores na nossa sociedade reflete-se em diminuídos mentais apanharem-se de um momento para o outro com uma responsabilidade para a qual não estão preparados. O Nobel subiu-lhe à cabeça e agudizou-lhe a estupidez.

Não deixa de ser curioso a forma "capitalista" como esse dito comunista aproveita os "truques" do mercado livre para ganhar umas massas extra.

Por fim, tendo em conta a relação amorosa e desinteressada em que está envolvido, tenho igualmente sérias dúvidas que ainda seja o saramago a escrever os seus livros...

Nuno

espaçodasletras disse...

Cara AnAndrade,
Quanto a ter sido colocada à margem por não ser crente… é-me difícil perceber o seu desabafo porque os crentes são minorias em todo o mundo. Portanto se alguém se sentisse à parte certamente não deveria ser você.
Principais religiões do mundo (número de crentes):
Cristianismo: 1.900 milhões
Islamismo: 1.200 milhões
Hinduísmo: 811 milhões
Budismo: 360 milhões
Skhismo: 23 milhões
Judaísmo: 145 milhões
Animismo: 200 milhões
Total Pessoas no Mundo: 8 biliões.

(Fonte: Word Christian Encyclopedia. 2001)
(Fonte: AcessoNews.com)

Entretanto, e já que não entende a importância do respeito que tenho pelo nome Deus, queira por favor considerar que um excerto escrito pelo autor do livro em questão, que menciona que “Deus é um filho da …” se torna para mim um argumento suficientemente válido para que qualquer pessoa (crente ou não crente) se sinta ofendida na sua inteligência. Recorrer ao uso, e abuso, de palavras ofensivas e grosseiras não é digno de um Nobel, personalidade que no meu ponto de vista tem como obrigação servir de exemplo para as restantes pessoas.
Entretanto, e como jornalista, digo-lhe que sou a favor da liberdade de expressão, desde que esta não ultrapasse limites, (que existem sempre) como aconteceu a partir do momento em que saramago chamou “estúpidos” àqueles que não pensam como ele… Como conseguirei respeitá-lo? Se eu lhe chamasse agora o mesmo por não compreender o que escrevi iria aceitar? A expressão “A minha liberdade acaba quando começa a do outro” não é vazia de sentido.
Como crente nunca tive pena dos que não crêem, como menciona, pois para mim cada um sabe de si e Deus de todos! Logo estaremos sempre em pé de igualdade.
Obrigada pelo seu comentário.

espaçodasletras disse...

Olá Fatucha, aparece mais vezes! Adiciona claro!

Anónimo disse...

O carácter de uma pessoa, quando escreve livremente, transparece na sua interpretação do Bem e do Mal.

Parabéns, por estares do lado do Bem.

M.L.

Anónimo disse...

"Pai perdoa-lhe que ele já não sabe o que faz"´, diz, escreve, pensa.
É uma pessoa rancorosa, ridícula, absolutamente caduca, que não se sabe como ganha um Nobel.Um atentado ao prémio.
De facto nem português, nem espanhol deveria ser, porque são povos estritamente religiosos.
Era bem preferível ser um apátrida ESTÚPIDO!

Alberto Sampaio

Anónimo disse...

Oblá oh saramago,
Baza daqui... oh seu filho da P....
acorda pra vida oh Inteligente LOL

Tás certo! ;)

teste disse...

Esta mensagem é por imposição do Sr. Pai dela. Assim também já posso dizer que estou a participar

Um tio disse...

Por lapso fiquei identificado como teste.

Então Pai dela isto é que é uma grande participação.

Um tio disse...

Não li o "famoso" livro, por isso não o vou comentar.
Mas quanto ao assunto em debate "Pai perdoa-o..." resta-me perguntar: mas alguma vez soube?

Um tio disse...

Maria desculpa desfocar o teu blog, mas tenho que continuar o raciocínio anterior. Saramago não sabe o que faz! E para aqueles que defendem que deve saber, pois até já lhe foi atribuído o Nobel, gostaria de relembrar os seguintes factos que por si só desmentem a credibilidade de "cargos" e "prémios"
NOBEL. - Antes era atribuído em vida ou a título póstumo por trabalhos e actos realizados, hoje existe também a categoria "futurista" - por actos e trabalhos que talvez venha a realizar (ex. OBAMA - pq talvez venha a concretizar a PAZ)
CARGOS. - Eram atribuídos por mérito profissional na área a que diziam respeito, hoje são atribuídos independentemente da área de especialização (ex. VARA - Administrador da Banca pela capacidade de "abrir portas", antigamente eram colocados porteiros nessa função).
Mais não digo não vá o diabo (talvez o do Saramago) tece-las.

nonas disse...

Olá Maria,
Aqui vai este link de um poema de um enorme poeta português e quase desconhecido que aproveito para indicar o site dele: http://www.rodrigoemilio.com/

O poema
é este:http://novafrente.blogspot.com/2009/10/saramago-segundo-jesus-cristo.html

Roxanne disse...

Olá

Vou-lhe dizer a minha opinião, que é diferente das que aqui têm sido exprimidas.

Não pode haver dois pesos e duas medidas.
Quando há um tempo atrás se fizeram caricaturas de Alá e os muçulmanos fizeram todo aquele escarcéu, a maior parte do mundo ocidental clamou por falta de humor e gritou a favor da liberdade de imprensa, ou seja da liberdade de opinião e de pensamento.
Não se deveria, agora, fazer o escarçéu inverso à conta do que escreve Saramago.

Repare: O Antigo Testamento é todo ele simbólico, tal como a passagem de Caim e Abel.
Saramago, por ser ateu, vê tudo como literal, segundo dizem, e deste ponto de vista o Antigo Testamento é realmente uma obra que mete medo.
Só que nada tem de literal é todo simbólico e da melhor simbologia.
Portanto o que os católicos deveriam fazer era pura e simplesmente encolher os ombros e não ligar ao que diz um ateu.

Quero deixar bem expresso que não estou a defender Saramago, estou a defender um princípio de valores e de "um saber" para além de.

A propósito, deixe que lhe faça uma pergunta
Por acaso já leu a obra que está a criticar?
É que a maior parte das pessoas que ouço falar ou leio, não leram o livro, ouviram ou leram algumas coisitas na comunicação social.

Eu que ando zangada com Saramago, precisamente desde o Nobel, vou depois de tanta publicidade comprar o livro.
Diga-se de passagem que parece que já há muito que não vendia tanto em Portugal.

beijinho

espacodasletras disse...

Olá Roxanne,
Muito Obrigada pelo seu post, aliás como o seu todos são bem vindos e aproveito para agradecer, desde já, as diversas perspectivas que têm manifestado...

Vou responder directamante à pergunta que me coloca.
Eu não li a obra, integralmente, por três motivos claros: 1º o assunto da obra não me interessa; 2º não aprecio o escritor em questão; e 3º não contribuía para a venda da mesma.

Entretanto explico que li o suficiente para saber do que falo, e para que me entenda melhor, o que me chocou mais nesta história toda não foram os excertos que saramago escreveu, mas as palavras e frases que proferiu em directo na Televisão para o mundo. Palavras vazias de valores, princípios, e de respeito. Essas é que não consigo mesmo ignorar. Um nobel deve dar-se ao respeito e ser um exemplo para as demais pessoas, não deve proferir insultos e achar-se superior a todos que o rodeiam...
Vá aparecendo! :)
Beijinhos

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Roxanne

Pedindo permissão à Maria para lhe responder, entendo perfeitamente o ponto de vista expresso, mas só discordo numa coisa: nao é preciso ler-se "Caim" para criticar as afirmações de Saramago, já que ele não faz mais nada do que repetir a fórmula de um ataque gratuito a Deus e à religião iniciado com "Evangelho Segundo Jesus Cristo". O facto de ser ateu nao lhe dá o direito de cuspir nos que crêem, ainda para mais falando do Antigo Testamento com os olhos de hoje, sem cuidar da carga simbólica e que deve ser interpretada à luz da altura.

De resto ja falei abundantemente sobre isto, mas foi apenas um contributo sobre "Caim" que nao precisa ser lido quando ele generaliza toda a Bíblia e esquece a diferença com o Novo Testamento (que também compõe a Bíblia) acusando Deus do seu proprio ateísmo. isto tem mais de psicologico do que outra coisa. E de marketing dado que os editores dizem que Saramago vende mais fora de Portugal do que dentro...

minuchaba@gmail.com disse...

Olá Maria e Daniel

Eu não estou a defender o Saramago, como já disse e também o acho insuportável.

O Saramago como qualquer um de nós tem todo o direito de dizer e pensar o que quiser sobre o que quiser, mesmo de Deus.
A mim o que me faz confusão é porque é que se dá importância às palavras de um ateu, mesmo que Saramago.

Não está aí um livro, agora, de José Rodrigues dos Santos a dizer que o Corão é só incitamento à violência?
O que dirão quando os muçulmanos começarem a refilar?

Eu estou a defender a liberdade de expresão e de pensamento e ao mesmo tempo a dizer que os católicos não deveriam dar atenção a ateus, sejam eles quem forem.

E é verdade sim, Daniel, os livros de Saramago, cá em Portugal, quase nem se dão por eles, mas não este, devido aos católicos, que lhe têm feito o favor de lhe dar uma publicidade imensa, aguçando curiosidades. Este está em primeiro lugar em todos os tops.

marta disse...

Desculpe, Maria.
Já no outro dia fiquei como Roxanne, por engano e agora enganei-me mais uma vez.
Vou-lhe deixar a morado do blog, só para me identificar como deve ser
http://claras-em-castelo.blogspot.com

beijinho